História

A história da FourC tem relação direta com a história de vida de sua Fundadora Sara Margareth Hughes e com a influência materna que recebeu nas questões educacionais. Sua mãe, Ms. Connie Hughes, professora, pesquisadora dedicada à formação infantil, investiu toda uma vida no desenvolvimento de suas capacidades, suas habilidades e o seu conhecimento para a efetiva aprendizagem das crianças. Recebeu, por cinco anos consecutivos, o prêmio americano Who is Who no âmbito educacional, a valorização máxima e o reconhecimento nacional por trabalhos relevantes na área.

Por causa da mãe, as questões educacionais faziam parte do cotidiano familiar de Sara. Ela tinha a convivência com esse ambiente “pedagógico” dentro de casa e, ao mesmo tempo, recebia, ela própria, uma educação diferenciada. Teve uma formação globalizada. Formou-se nos Estados Unidos em Administração e Economia com Ênfase em Relações Internacionais. Realizou na Espanha o mestrado em Administração. Além da Espanha, morou também em Londres, Costa Rica e Colômbia, aprimorando sua cultura, conhecimento e experiência.

Por estar sempre envolvida com as associações e grêmios da escola, durante os estudos no colegial, Sara foi selecionada para participar do Instituto de Liderança, no qual o objetivo maior era descobrir jovens líderes para desenvolver uma formação de liderança proativa. Foi presidente da AISEEC – Associação Internacional dos Estudantes de Economia e Comércio por dois anos. Ademais, trabalhou na pesquisa de um livro sobre mulheres empreendedoras e ajudou a fundar uma ONG para ajudar mulheres adolescentes em situações de risco. As mulheres empreendedoras tornavam-se “mentoras” de adolescentes, acompanhavam e supriam o desenvolvimento dessas jovens, tanto em termos educacionais como em termos financeiros.

Depois do MBA, veio para o Brasil. Casou-se em 1996 com Carlos Renato Trecenti. Fixou residência em Bauru e começou a atuar em Lençóis Paulista/SP, nas indústrias Lwart, da família do marido. Como Diretora de Planejamento e Controle do Grupo Lwart, era responsável pelo desenvolvimento humano dos funcionários.

Capacitava, treinava e desenvolvia seus colaboradores para que adquirissem competências necessárias às atividades profissionais que exerciam ou iam exercer na indústria.

Criou em 2001 o Projeto Formação de Líderes, um dos projetos sociais do grupo Lwart, inspirada na vivência do colegial. O Projeto, com o objetivo de “formar líderes positivos que conhecem seu meio, preocupam-se com a comunidade e aproveitam as oportunidades para aperfeiçoar suas habilidades de liderança participativa, incentivando o Protagonismo Juvenil”, foi criado para atender adolescentes de 14 a 18 anos, que frequentam o 1.º ou 2.º ano do Ensino Médio de todas as escolas de Lençóis Paulista (públicas e particulares). Sara acompanhava o trabalho de desenvolvimento desses jovens ao longo de todo o projeto.

Ainda sob sua responsabilidade estavam os projetos sociais da Semana da Cidadania, evento para todos os funcionários Lwart, o Fórum Juvenil e o Congresso Juvenil para jovens da região de Lençóis Paulista. Também participava diretamente no trabalho de desenvolvimento do potencial humano de pessoas recém-formadas para a atuação em cargos gerenciais do grupo Lwart.

Uma constatação foi feita enquanto realizava essas atividades. Ao lidar com jovens, com profissionais sem formação, com formação deficiente ou com excelente formação acadêmica, as mesmas lacunas apareciam com frequência: a falta de curiosidade e de vontade de aprender; a falta de espaço e de coragem para tomar a iniciativa, a falta de visão crítica da situação. Estas constatações levaram a Diretora a refletir:

“estamos formando as crianças de maneira equivocada, para chegarem às fases jovem e adulta com essas lacunas. Deve haver uma forma diferente de educar.

Sara Margaret Hughes”

Começaram, então, os estudos e as pesquisas sobre educação infantil e fundamental, seguidos do entusiasmo e da participação de Ms. Connie. Começou também a nascer em Sara o desejo de construir uma escola diferenciada para seus filhos e os filhos da comunidade de Bauru e o seu entorno. Os estudos levaram-na ao conhecimento das bases filosóficas e metodológicas da educação bilíngue, e a certeza de que esta formação, além da aquisição de uma segunda língua, abre as possibilidades para uma formação globalizada, atenta à descoberta de novas culturas, ao respeito, à visão mais abrangente e propiciadora de um ambiente de colaboração e de cidadania. A educação bilíngue, em essência, consegue enxergar e trabalhar as diferenças, o respeito e o cuidado com o outro. Ao adquirir uma segunda língua, adquire-se o conhecimento de cultura diversa, a possibilidade diferenciada de pensar, mais crítica, mais abrangente e consegue-se ampliar as fronteiras, além das geográficas e culturais.

Escolhido o modelo de escola, a decisão definitiva para a construção foi tomada quando uma funcionária familiar concluiu: “Sara, se você, com toda a disposição e capacidade para fazer acontecer, não realizar esse sonho aqui, quem vai ter a coragem de fazê-lo?” Esse questionamento calou fundo em Sara e ela começou a realizar o que estava no plano das ideias. Assim, o terreno, adquirido em 2003, começou a ser transformado em escola em outubro de 2007. O ano de 2008 foi dedicado à organização, a legalização da Escola e no dia 20 de novembro inaugurava-se, com festa, a FourC Bilingual Academy. No dia 2 de fevereiro de 2009 teve início o primeiro ano letivo, com 123 alunos e 47 profissionais. Estava de pé e funcionando a Escola com uma nova proposta de educação.

São muitas as mãos responsáveis pela materialização deste sonho. Empenho direto inicial da equipe administrativa e posteriormente de professores, pais e funcionários técnico-administrativos, que, ao longo de uma história, transformando a forma de entender e desenvolver a Educação. Espera-se que a Escola FourC seja uma Escola aberta às descobertas, ao diálogo, à construção de um caminho consistente e aos novos rumos que serão divisados neste século. E que tenhamos o compromisso do contínuo refazer. É dessa forma que entendemos que uma Escola deve ser.